RPCD, 2016, S2R2
download PDF Este noemero em PDF
Actualizada em [Updated]

Nota editorial
Apresentação

António Manuel Fonseca

Para efeitos de introdução a este número suplementar da Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, que integra todos os resumos das comunicações submetidas e aprovadas para inclusão no programa científico do XVI Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, entendemos ser útil e oportuno transcrever na íntegra a mensagem de boas vindas disponível na página do congresso:

Em nome da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), é com enorme prazer que vos damos as boas vindas ao XVI Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, a realizar nos próximos dias 27, 28, 29 e 30 de Setembro de 2016.

Como sabem, o movimento que está na origem dos Congressos de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa foi iniciado por um conjunto de académicos de várias instituições, unidos pela paixão pelas questões das ciências do desporto e da educação física e pelo sonho da criação de um palco amplo, participado e dinâmico onde a lusofonia as pudesse discutir, desenvolvendo o seu conhecimento neste domínio. Igualmente crucial, para além da visão, conhecimento e lucidez essenciais para delinear um projeto desta natureza, foi a capacidade e o engenho demonstrados para reunir os indispensáveis apoios e entusiasmos para o tornar realidade.

Todavia, porventura recordando que, tal como no Desporto, tão ou mais difícil do que atingir o sucesso é mantê-lo, os protagonistas deste movimento perceberam igualmente desde o início que seria fundamental alicerçá-lo e robustecê-lo devidamente, procurando que ele se constituísse como um espaço acessível e comum que permitisse partilhar, confrontar e examinar diferentes perspetivas sobre um conjunto de temas que a todos interessa e que a todos pode e deve beneficiar.

Nesse sentido, ao longo dos anos, o Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa foi sendo organizado regularmente por diversas instituições em diferentes países e continentes e adquirindo a qualidade e a robustez imprescindíveis para que, apesar da imensidão de terra e mar que separa todos os interessados do mundo lusófono nas questões relacionados com as ciências do desporto, a realização deste Congresso se tenha tornado um acontecimento aguardado e com um espaço singular na nossa agenda.

A edição de 2016, apesar das dificuldades conjunturais que estamos a viver, não será diferente. Ou seja, assistiremos certamente e uma vez mais a um relevante momento de natureza científica e académica, mas também de humanismo e reforço das relações lusófonas, sendo esperados congressistas provenientes das muitas terras unidas pela nossa língua, espalhadas pela Europa, África, América e Ásia, que saberão interpretar e dar sentido ao lema desta edição: "Reencontro e renovação dos caminhos".

De facto, a circunstância de vivermos tempos líquidos, em que parece que nada é feito para durar, muito menos para ser sólido (Zygmunt Bauman), deverá ser reconhecida como uma dificuldade, mas não constituir-se como uma barreira inultrapassável, que nos impeça de definir para onde podemos e queremos evoluir nos próximos anos, recordando para o efeito uma frase bem conhecida de todos: "Só há ventos favoráveis para quem sabe aonde vai"…

Na verdade, a conjuntura que vivemos reclama que revisitemos o caminho percorrido, mas que procuremos, acima de tudo, perspetivar o modo como melhor poderemos e deveremos preparar o futuro, colhendo inspiração no alerta de Soren Kierkegaard, de que "a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida olhando-se para a frente."

Conforme referido anteriormente, esperam-se, provenientes de todas as partes do globo em que se fala a língua portuguesa – i.e., da nossa Pátria; como bem a caracterizou Fernando Pessoa, ainda que noutro contexto -, participantes que desempenham múltiplos papéis (pesquisadores, técnicos, dirigentes, professores, estudantes, etc…), nas várias áreas de interesse privilegiadas no Congresso (Administração e Gestão do Desporto; Antropologia do Desporto; Aprendizagem, Desenvolvimento e Controlo Motor; Atividade Física, Aptidão Física e Saúde; Avaliação e Análise da Prestação Desportiva; Biomecânica; Desporto de Rendimento e Treino Desportivo; Desporto e Atividade Física Adaptada; Educação Física Escolar; Filosofia do Desporto; Fisiologia do Exercício; História do Desporto; Medicina Desportiva; Nutrição e Desporto; Pedagogia e Didática do Desporto; Psicologia do Desporto; Reabilitação e Fisioterapia; e Sociologia do Desporto). No entanto, apesar das diferenças existentes entre si, há algo partilhado por todos: a paixão e o entusiasmo suscitados pelas questões das ciências do desporto e a dedicação e o comprometimento no sentido do aprofundamento do conhecimento relacionado com elas, bem como da sua aplicação para a melhoria das nossas sociedades.

Esse é, portanto, um desafio que se coloca a todos os participantes no XVI Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa: recordar e refletir os caminhos trilhados no passado… mas visando essencialmente definir os que importará percorrer no futuro, tanto no plano mais académico e científico, como no dos ofícios e profissões relacionadas com o desporto.

E, no atual contexto, de encruzilhada de dificuldades e exigências, mas também de possibilidades e oportunidades, que reclama a necessidade da referida (re)definição dos horizontes e metas a alcançar no mundo lusófono das ciências do desporto – i.e., "de reencontro e renovação dos caminhos" -, parece-nos que a cidade do Porto é um local excelente para acolher todos os interessados, capazes e disponíveis para o fazer.

om efeito, a cidade do Porto, berço do Príncipe Navegador que deu "novos mundos ao mundo", para além da abertura ao mundo, sempre se caracterizou pela hospitalidade fraternal que proporciona a quem a visita, tendo vindo, particularmente nos últimos anos, a ser sistematicamente destacada como um dos melhores locais a visitar, tanto no plano europeu como mundial. Do mesmo modo, a FADEUP, que celebra os seus 40 anos de integração na Universidade (ver https://sigarra.up.pt/fadeup/pt/noticias_geral.ver_noticia?p_nr=11272), sempre propugnou a abertura ao exterior, elegendo como um dos principais vetores da sua missão a promoção e a consolidação de uma comunidade lusófona participada e ativa no espaço das ciências do desporto, tendo tido a oportunidade de, ao longo da sua existência, acolher muitos dos mais prestigiados atores neste domínio e constituir-se como um local de referência para a partilha de saberes e afetos.

É verdade que a responsabilidade da organização do Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa ao longo dos anos não compete exclusivamente a uma determinada instituição, associação ou sociedade. Porém, isso não significa – bem pelo contrário! – que estas não sejam fundamentais para a sua organização. De facto, para a organização da edição deste ano muito contribuirá o apoio institucional da FADEUP (ver https://www.youtube.com/watch?v=IkBGmMwuNiQ) e do COP (ver https://www.youtube.com/watch?v=ur7rTb3kyb4), parceiros antigos na promoção dos valores educativos, culturais e sociais associados ao desporto.

Adicionalmente, a Revista Portuguesa de Ciências do Desporto (http://www.fade.up.pt/rpcd/), enquanto veículo privilegiado de difusão em língua portuguesa do conhecimento que vem sendo produzido por investigadores da área das ciências do desporto em diferentes partes do mundo, especialmente nos países de expressão portuguesa, não poderia deixar de se associar a este movimento, conforme aliás tem feito ao longo da sua história.

Pensamos, portanto, que estão reunidas as condições necessárias e suficientes para que, com a colaboração de todos os que se interessam por estes assuntos e temas, consigamos realizar um magnífico Congresso. Cá vos esperamos…

Na verdade, a mensagem aqui transcrita explica, no essencial, o contexto, os desafios e os objectivos definidos para esta edição do Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, referindo-se igualmente ao papel que a RPCD tem desempenhado no sentido de divulgar o que tem vindo a ser produzido e apresentado na esfera deste movimento, enfatizando que esta não é a primeira vez que tal acontece.

De facto, esta é a terceira vez que a RPCD é convidada e aceita ser, com todo o agrado e orgulho, o veículo de divulgação das comunicações aprovadas pelas comissões científicas dos Congressos de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa.

Na linha do anteriormente verificado, também para este número (RPCD, 16/S1R), a opção adoptada foi a de a Comissão Organizadora e a RPCD definirem um conjunto de critérios que visou assegurar a qualidade e o mérito do conteúdo a publicar, tanto no que concerne ao âmbito científico a privilegiar, como à sua revisão e avaliação cegas por peritos convi dados para o efeito pela Comissão Organizadora em articulação e respeito pelas normas de publicação da RPCD.

Adicionalmente, considerando que esta edição do Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa ocorre em simultâneo com o congresso bianual da Associação Latina de Filosofia do Desporto (ALFiD), com os participantes dos dois eventos a poderem participar sem quaisquer restrições nos diferentes programas científicos, sociais e culturais, entendeu-se como oportuno e adequado estender a colaboração firmada entre a RPCD e a Comissão Científica do Congresso em Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa também à Comissão Científica do 2º Congresso da ALFiD.

Nesse sentido, e à semelhança do estabelecido com a Comissão Científica do Congresso em Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, também com a Comissão Científica do 2º congresso da ALFiD foram definidos critérios para garantir a qualidade e o mérito do conteúdo a publicar na RPCD, no respeito e em articulação com as suas normas de publicação (a única excepção, que procurou honrar decisões e práticas anteriormente assumidas pela ALFiD e não conflitua de forma alguma com as exigências de qualidade que importa preservar, foi a de permitir que os resumos tivessem uma dimensão até 500 palavras, o que explica o facto de neste volume haver resumos com uma dimensão algo superior ao habitual).

Importará ainda referir que, embora a Revista Portuguesa de Ciências do Desporto tenha decidido editar apenas um número para a publicação dos resumos das comunicações integrantes dos programas científicos do XVI Congresso de Ciências do Desporto e Educa ção Física dos Países de Língua Portuguesa e do 2º Congresso da Associação Latina de Filosofia do Desporto (i.e., o RPCD 2016/S1R), o significativo número de resumos submetidos e aprovados para o efeito pelas respectivas comissões científicas (para além de atestar o seu mérito, que importará sempre destacar), levou-nos a optar por editar este número em dois volumes, fisicamente separados, mas conceptualmente e graficamente comuns e complementares; indissociáveis, portanto.

Em conformidade, a este volume (intitulado como RPCD 2016/S1R1) sobrevém o volume RPCD 2016/S1R2, não devendo qualquer um deles ser entendido autonomamente, razão pela qual inclusivamente a numeração das páginas se complementa e apenas existe uma nota de apresentação.

Estando conscientes da qualidade e pertinência da informação contida neste número suplementar, fazemos votos para que a sua leitura seja útil e agradável para todos que a isso se decidirem...

ARTIGOS
Papers

Desporto e atividade física adaptada

Educação física escolar

Filosofia do desporto

Fisiologia do exercício

História do desporto

Medicina desportiva

Nutrição e desporto

Pedagogia e didática do desporto

Psicologia do desporto

Reabilitação e fisioterapia

Sociologia do desporto

ALFiD